Executivos da Netflix explicam o cancelamento de “Everything Sucks!”

 

Lançada com alarde pela Netflix, Everything Sucks! não conseguiu atender plenamente às expectativas do serviço de streaming, que depositou muitas esperanças nesse drama adolescente ambientado nos anos 90 e abastecido de referências àquela época.

Concordo que a série não foi tudo o que poderia ser e ficou mais na promessa, só que ela conseguiu uma barulhenta base de fãs, bem como chamou a atenção de alguns críticos especializados. Para a Netflix, porém, foi pouco.

Sim, foi numericamente pouco. Por mais que pessoas tenham gritado aos quatro ventos o quanto amaram Everything Sucks!, a decisão da Netflix foi meramente comercial e não dá indícios de ceder ao apelo dos fãs: o seriado não teve a audiência esperada e a empresa não tem interesse na sua continuidade.

E olha que se trata de uma série relativamente barata de se fazer: segundo o site Vulture, toda a temporada de Everything Sucks! custou MENOS do que o valor que eles gastam para produzir UM EPISÓDIO de The Crown, essa sim unanimidade entre a crítica e que, para os executivos de Los Gatos (cidade da Califórnia que abriga a sede da Netflix), vale cada centavo.

“Poucas pessoas assistiram até o fim. Não conseguimos tirar Everything Sucks de um público nichado”, explicou Ted Sarandos, chefe de conteúdo da Netflix. Além disso, poucas pessoas assistiram à temporada completa em seus primeiros 28 dias, intervalo de tempo em que a plataforma avalia a receptividade do público às suas produções originais.

Ou seja, a rigor, o que importa é se você assistiu tudo em 4 semanas. Por mais que a série seja original Netflix e, provavelmente, vai estar lá para sempre, eles precisam que você passe uma mensagem rápida de que está assistindo, gostou e quer mais. Tudo isso em 28 dias.

No começo do ano, a roteirista Gloria Calderón Kellett, showrunner da sitcom One Day At a Time, outro fenômeno de crítica que não tem uma audiência à altura dos elogios que recebe, fez uma postagem em seu twitter implorando aos fãs que assistissem “pelo menos quatro episódios nos próximos dias [porque] a Netflix decide qual série será renovada com base nas visualizações [dos episódios]”.


Quando a roteirista escreveu o tweet, One Day At a Time estava a apenas quatro dias do “deadline” de quatro semanas adotado pela métrica da Netflix. O apelo deu certo e a comédia ganhou a encomenda de uma terceira temporada.

Já Everything Sucks não teve a mesma sorte. Cindy Holland, vice-presidente de conteúdo original, explicou que, apesar de não ser uma série cara de se fazer, “não conseguiu uma audiência abrangente”, e as poucas pessoas que assistiram não foram até o final.

Comentários no Facebook