Chaves, uma criança de mais de 40 anos

Em 21 de junho de 2011, o Chaves festejou quatro décadas de vida. Na verdade, considerando a idade do personagem, se ele existisse, estaria com 48 anos naquela data.

São mais de 40 anos anos desde o nascimento desse garotinho inocente, que logo perderia os pais, para depois encontrar abrigo numa aconchegante vila mexicana. Tendo um barril como esconderijo secreto, ele mora mesmo é na casa de nº 8, e sabe-se lá com quem, ou como ele faz pra pagar o aluguel — e pontualmente, já que o único inadimplente da vizinhança é o Seu Madruga.
 
Outra coisa que ninguém sabe ao certo é o seu nome, todos o chamam de Chavo (garoto; guri), que no Brasil virou Chaves, com sutis (embora profundas) características que nos permitem afirmar que se tratam de duas pessoas: o nosso Chaves e El Chavo mexicano. Pra evitar maiores confusões, digamos que ambos têm 40 e tantos anos.
 
Se lhe faltam parentes de sangue, Chaves é cercado por pessoas que o amam verdadeiramente, dentro da pequena vila do Sr. Barriga, sem contar os milhões e milhões de admiradores que ele arrebatou fora dela. Só o que ele não conquistou, nesses 40 anos, foi a sua paciência. Ninguém tem paciência com ele.
Nossos parabéns ao eterno gênio Roberto Gómez Bolaños por ter sido capaz de criar esse personagem que até hoje continua atual, tão puro e relavimanente ingênuo, que faz tanto bem ao imaginário de crianças e adultos.
KIKO: “ESTOU DISPOSTO A PERDOAR O CHAVES”
Na ocasião da festa dos 40 anos da estreia de Chaves na TV, que estava sendo organizada no México pela Televisa, o ator Carlos VIllagran (Kiko) disse que toparia participar, mesmo que isso significasse reencontrar seus “desafetos”.
A declaração de Carlos Villagrán que causou a maior repercussão na imprensa, foi a seguinte: “Eu iria à Televisa, o mais bonito do ser humano é não guardar rancor apesar de todo o mal que lhe foi feito, mas sempre há justiça. De uma forma ou de outra você paga”O que será que ele quis dizer?
Quando ele deu essa declaração, o que a imprensa deu a entender é que o Kiko estaria disposto a pedir perdão por ter chamado Chespirito de “trapaceiro”, e por tudo o que disse nesses anos todos. Não foi isso. Villagrán nunca se mostrou “arrependido”, nem esteve disposto a pedir perdão. O que ele quis dizer é que ele estava disposto a perdoar. Entendeu?
A contenda envolvendo Quico e Bolaños apenas se resolveria se os dois fizessem uma conciliação, ou seja, com cada um abrindo mão de alguma coisa que acha que merece para no final todos saírem ganhando. O tempo passou, Chespirito morreu, e não houve reconciliação alguma.
E você, gosta de Chaves? O que acha disso tudo? Deixe o seu comentário!

Comentários no Facebook