Antes de morrer, ator do ‘Professor Girafales’ negou estar na falência e fez revelações; entenda

Uma notícia que bombou na imprensa em 2010 dava conta de que o ator Ruben Aguirre, que vivia o Professor Girafales em ‘Chaves’, estaria enfrentando uma crise financeira.

Este caso nós acompanhamos de perto, porque foi um tanto desesperador pensar que um ator como o Ruben pudesse, àquela altura da vida e depois de tudo o que passou com a sua esposa, estar na falência.

Tudo começou quando ‘Shory’ (um dos apelidos do ator, em homenagem ao seu primeiro personagem de sucesso) deu uma polêmica entrevista à revista TVNotas e, realmente, quem leu teve a sensação de que a situação não estava boa. À tal situação, empregaram o termo ‘falência’ — e toda a imprensa reproduziu.

Depois, verificamos que a coisa não era bem assim. Por algum motivo, a notícia voltou com tudo em 2011, e desde então Aguirre foi constantemente abordado para responder a questões relacionadas à suposta falência.

Os custos do tratamento de sua esposa eram bastante altos, mas nada que ele não pudesse pagar (ele recebia uma renda vitalícia da Televisa, pelas reprises de Chaves), apesar de que, para isso, ele tivesse que sacrificar certas extravagâncias.

“Não tenho luxos, mas vivo muito bem, não estou na falência. Não, não, isto foi um mal-entendido, jornais sensacionalistas que gostam de inventar. Eu estava dizendo que eu tive um acidente sério com minha esposa, que lhe fizeram quatro operações e que havia me custado muito dinheiro, mas que estou na falência é uma mentira muito grande (…) Tive um acidente como outra pessoa qualquer pode ter. Tive um problema nos freios e bati, foi só isso. A minha perna se partiu em três, e por isso estou andando de bengala”, disse Ruben ao jornal peruano Dia D, e esse foi só um dos assuntos abordados.

Ele também denunciou que foi criada uma falsa conta no Facebook em seu nome, falando sobre suas dificuldades financeiras, e pedindo doações.

Sobre a questão dos direitos autorais dos personagens (um tema que sempre vem à tona), Ruben revelou estar cem por cento do lado de Chespirito, seu amigo pessoal, na disputa travada com os colegas que insistiam em reclamar a criação dos que interpretam. Carlos Villagrán (Kiko) e Maria Antonieta de las Nieves (Chiquinha), mais especificamente. Ele não negava que todos os atores imprimiram características aos personagens, e citou como exemplo as bochechas do Kiko, o choro da Chiquinha e até o seu “Tá Tá Tá Tá Tá”. Mas também, ele entende que daí a se dizer criador do Girafales, é uma longa distância.

Ruben Aguirre não entendia como os ex-companheiros de trabalho conseguiram chegar a tamanha contenda, já que todos tinham plena liberdade para utilizarem os personagens — “Bastava pedir; ou melhor, nem pedir, bastava avisar”, e que apenas uma vez ele não obteve autorização: quando, nos Estados Unidos, quiseram que ele atuasse como o Professor Girafales num comercial de cerveja. Seria a Cheves?

Por fim, a parte mais interessante: o saudoso tobogã de salto alto contou como ficou sabendo do fim de Chaves. Ele tinha sido contratado por um empresário sul-americano para trabalhar durante um mês inteiro, e estava até surpreendido com o seu sucesso nesta parte do continente. Ao ligar para Bolaños para pedir autorização, e explicar que iria se ausentar por um mês, a resposta que ele ouviu foi: “Pode se ausentar por um ano inteiro, acabou o programa!”

Foi uma decisão da Televisa, mas que já tinha sido cogitada por Bolaños, que dissera que quando fosse avô, iria se aposentar. Coincidentemente, naquela época, uma de suas filhas dera à luz.

Ruben Aguirre faleceu em 15 de junho de 2016, aos 82 anos.

Comentários no Facebook